19 de dez de 2010

“Vós... quem dizeis que eu sou?”

Mateus 16.13-16 - "13 Indo Jesus para os lados de Cesaréia de Filipe, perguntou a seus discípulos: Quem diz o povo ser o Filho do Homem? 14 E eles responderam: Uns dizem: João Batista; outros: Elias; e outros: Jeremias ou algum dos profetas. 15 Mas vós, continuou ele, quem dizeis que eu sou? 16 Respondendo Simão Pedro, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo."
        
         Chega o momento em nossa vida que precisamos nos posicionar quanto quem é o Senhor Jesus. Posicionamento que precisamos tomar em vida e à vida. Que hoje seja o seu dia. 
         Esta posição define à vida e como vive-la. Para tanto, é necessário compreender que o contexto desta passagem mostra-nos que o Senhor Jesus já vivera alguns anos com seus discípulos e estes já haviam presenciado vários sinais, ensinos e milagres; a oposição era cada vez mais crescente; e, aproximava-se o dia de sua morte. Ou seja, o caminho para Jerusalém, porém, não era perigoso só para Jesus, mas também para os seus.
         Deste modo, Jesus precisa verificar se realmente os doze discípulos estavam convictos sobre quem Ele é. Do mesmo modo deve ser conosco, precisamos nos posicionar sobre quem é Jesus. E só existem dois grupos. 
         O primeiro grupo é representado na primeira pergunta e resposta. (v.13 e 14) 1º Pergunta: “Quem diz o povo ser o Filho do Homem?” 1º Resposta: “E eles responderam: Uns dizem: João Batista; outros: Elias; e outros: Jeremias ou algum dos profetas.”
         O primeiro grupo já tem uma opinião formada sobre Jesus. Assim como nos nossos dias. As pessoas tem diversas opiniões sobre quem é Jesus. 
         Opiniões que o reconhecem como um personagem histórico cuja a mais pura conduta moral é encontrada. Um grande guia, o maior dos executivos, o maior dos psicólogos, um grande religioso, um grande mestre, alguém cujo o espírito era elevado. Os líderes religiosos e políticos de seu tempo o consideravam um inovador perigoso, que dissolve toda ordem, um entusiasta, um charlatão e blasfemo.
         Todavia, não reconhecem a exclusividade de Jesus Cristo. Não reconhecem o Único capaz de remir, de livrar da ira de Deus que será manifesta contra todo ser humano que vive no pecado e injustiça. Alías, este grupo, considera este ensino bíblico um absurdo. Objeta esta verdade.
         O segundo grupo é representado na segunda pergunta e resposta (v.15,16) 2º Pergunta: “Mas vós, continuou ele, quem dizeis que eu sou?” 2º Resposta: “Respondendo Simão Pedro, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo.”
         A posição deste grupo é a oposta ao anterior, porque neste as pessoas dão ouvido ao que Deus diz. Foi assim com Pedro e com todos que dão ouvido a Palavra de Deus. Jesus disse após a resposta: v. 17 “Então, Jesus lhe afirmou: Bem-aventurado és, Simão Barjonas, porque não foi carne e sangue que to revelaram, mas meu Pai, que está nos céus.”
         Aqui reside a diferença central. Ouvir a voz de Deus para se posicionar. Foi o próprio Deus quem já disse: “Hoje, se ouvirdes a sua voz, não endureçais o vosso coração,…” Hebreus 3.15. O seu posicionamento trará segurança e vida se você sinceramente buscar de Deus a direção para sua vida. Para tanto, você terá de virar as costas para as opiniões deste mundo. É impossível caminhar de mãos dadas com Deus e com o mundo. Você precisa se posicionar. 
         Certos desta exigência, vejamos a radical diferença deste grupo que dá ouvido ao que Deus constantemente fala pela sua Voz. 
         “Tu és o Cristo” é o reconhecimento absoluto e exclusivo de Cristo como o prometido de Deus, antes da fundação do mundo, daquele que viria para remir e libertar as pessoas do império das trevas, da escravidão do pecado e do sofrimento eterno. Aquele sem a qual não há alguma esperança de vida. 
         “Tu és o Filho de Deus” O filho do Deus vivo é o próprio Deus vivo. Crer no Senhor Jesus significa dizer que cremos que em sua pessoa, em seu maravilhoso ser, é a água da vida, o pão da vida, o caminho, a verdade, a vida e a ressurreição. Crer em Jesus significa também dizer que inevitavelmente a vida do crente será transformada conforme a imagem de Jesus de Nazaré. Isso implica em arrependimento, confissão e abandono da vida pecaminosa.
         Pedro foi o primeiro a fazer essa confissão,  e, sendo Jesus, o autor da fé salvadora, nele devemos crescer e segui-lo cabalmente. Crer em Cristo implica que pela graça de Deus fomos alcançados e nos sujeitamos a Sua exclusividade e Senhorio. Quem crê em Jesus passa a viver com a comunidade de Jesus, que é a Igreja que Ele próprio instituiu e é o cabeça. 
         Qual é o seu posicionamento? Não há um terceiro. Em que grupo estás? Se reconheces que és pecador e precisas da graça salvadora de Deus, é sinal de que você pode posicionar-ne como servo e discípulo de Jesus. Então, tome hoje a sua posição. Faça como Deus ensina em sua Palavra: “Quem crer nele não ficará desiludido. Isso vale para todos, pois não existe nenhuma diferença entre judeus e não-judeus. Deus é o mesmo Senhor de todos e abençoa generosamente todos os que pedem a sua ajuda. Como dizem as Escrituras Sagradas: “Todos os que pedirem a ajuda do Senhor serão salvos.” Romanos 10.9-13                              

Pr. Rodrigo Odney

Nenhum comentário:

Postar um comentário