4 de out de 2009

Você está roubando a Deus?

Não sou adepto da pedagogia do medo e da opressão para ensinar as verdades que Deus permitiu que fossem registradas na Bíblia Sagrada. Penso que a contribuição deve ser fruto do reconhecimento do Senhorio Divino sobre as nossas vidas e gratidão por nos conceder tantas bênçãos que não somos merecedores. Assim disse o apóstolo Paulo inspirado pelo Espírito Santo: “ Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama a quem dá com alegria.” 2 Coríntios 9.7

Porém entristece o coração ver o descaso que muitos membros do corpo de Cristo tem para com os decretos de Deus e a Sua Igreja. Precisamos recuperar a visão de que somos cooperadores de Deus, como está dito aos Coríntios: “Porque de Deus somos cooperadores; lavoura de Deus, edifício de Deus sois vós.” 1 Coríntios 3.9. É isso que somos, um corpo que precisa da cooperação de todos, de cada parte para o crescimento saudável e sustentável de nossa comunidade de discípulos de Cristo Jesus.

Notemos que a cooperação deve ser de todos. Infelizmente muitos não tem cooperado, e, com isso, a igreja sofre. Se fôssemos perguntar aos membros não contribuintes o por quê da não contribuição, teríamos muitas justificativas. Diriam alguns que não contribuem porque acham que ganham tão pouco, e, o seu pouco, não fará diferença. Outros, porque não concordam com a liderança e administração da igreja, e, então, protestam deixando de devolver o dízimo. Há, também, aqueles que por descuidos ou surpresas desagradáveis se endividaram, com isso não tem como ser dizimista. Ainda há aqueles que fazendo-se doutores de si mesmo afirmam que o dízimo não é doutrina neotestamentária, é coisa da lei, por isso não se aplica aos cristãos. Nós temos sofrido com essas atitudes e visões distorcidas em nosso meio. Em nossa igreja menos da metade da membresia tem sido fiel a Deus na devolução da décima parte do resultado de seu trabalho. Que lástima.

Aprofundando um pouco mais na questão, vamos verificar que a nossa cooperação não diz respeito somente a contribuição financeira, mas, sobretudo, a nossa dedicação de tempo, recursos e talentos pessoais para o serviço da igreja neste mundo. Quantos talentos estão enterrados por ausência de perdão e restauração de amizades. Com isso, nós perdemos como igreja, poderíamos avançar com força, todavia ficamos a patinar por falta de humildade e ação reconciliadora. Há também aqueles que roubam a Deus buscando a glória para si mesmos. Querem ser visto pelo que fazem, querem a recompensa deste mundo, das pessoas, por isso buscam a proeminência. À estes Jesus é bem claro em Mateus 6.1-5.

Você está roubando a Deus? Precisamos ser sinceros conosco, com Deus e com o próximo para responder esta pergunta tão séria que o próprio Deus aventou quando falou por meio do profeta Malaquias 3.8-10. Um conselho de pastor que se importa com a sua vida e com a igreja que somos, não roube mais a Deus. Não vale a pena. Ao invés de roubá-lo, arrependa-se do mal feito, peça perdão e comece hoje uma nova caminhada em sua vida. Lembre-se que Deus é rico em perdoar como registrou o profeta Isaías 55.7.

Este é o primeiro Domingo do mês e reafirmamos que contamos com a sua cooperação manifesta num sorriso, num abraço, numa oração, numa recitação bíblica, na dedicação de seu talento, na devolução do dízimo, na generosidade em ofertar, no servir com humildade, na participação dos cultos em oração, nos domingos pela manhã e de noite, nas programações diversas que teremos. A sua cooperação faz a diferença. Se todos nos unirmos Pompéia será impactada com a prática do Evangelho de Cristo.

Juntos Somos Mais,
Pr. Rodrigo Odney

Nenhum comentário:

Postar um comentário